quinta-feira, 1 de maio de 2008

Esclarecimentos pouco claros ou cheque em branco

"Um acto normal de gestão" foi como Miguel Salema Garção, director de Comunicação dos "leões", qualificou ontem o empréstimo obrigacionista no valor de 20 milhões de euros que a Sociedade Anónima Desportiva (SAD) pretende contrair este Verão. Na realidade, segundo informou o clube, trata-se de uma "renovação" de um outro empréstimo contraído há três anos. Como maior accionista da sociedade que gere o futebol dos lisboetas, o Sporting não terá dificuldades de maior em aprovar esta iniciativa na assembleia geral (AG) marcada para dia 30 de Maio, como aconteceu nas outras duas ocasiões em que recorreu a este expediente financeiro, em 2002 e 2005.

O destino dos 20 milhões de euros que resultem do actual empréstimo (mediante a emissão de obrigações ordinárias com o valor nominal de cinco euros), poderão igualmente destinar-se à redução do estrangulante passivo bancário, mas a SAD ainda não esclareceu o seu destino.

Hoje no Público, sem link

2 comentários:

João Pedro Silva disse...

Luizinho,

O meu palpite é que este dinheiro vai direitinho para o fundo de maneio, para fazer face às graves dificuldades de tesouraria.

De outra forma não faria sentido.

Luizinho disse...

É que o despudor desta gente vai sendo inacreditável. Com a agravante da absoluta confiança que mostram na aprovação do empréstimo, que eu ainda não percebi se tem de ser aprovado em sede de Assembleia Geral do clube ou não...