terça-feira, 30 de março de 2010

segunda-feira, 29 de março de 2010

Pergunta singela

Por onde andam os sócios dos 25 votos nestes dias que correm? Estranho silêncio...
Não vemos um movimento dos sócios com mais peso no Sporting --podiam chamar-lhe o Movimento dos 25...-- para pedir contas sobre o descalabro total --financeiro e desportivo-- em que está o Clube...
São ciosos da sua prerrogativa quando se trata de alardear "estatuto", mas remetem-se ao silêncio quando é hora de lhes exigir contas.
São os principais responsáveis por tudo o que aconteceu ao Sporting.
Têm mesmo 25 vezes mais responsabilidade em tudo o que está a acontecer porque, com a sua ajuda quantitativamente preciosa, com o seu imobilismo, o seus conservadorismo e reaccionarismo, com a sua complacência, e muitas vezes com a sua arrogância, sucessivas direcções de criminosos conseguiram transformar o Sporting num clube fantastma.
Onde andam eles por estes dias...? Ainda faz sentido privilegiar gente desta qualidade? Não deviam ser penalisados também 25 vezes? Por exemplo, pagarem 25 vezes o valor da quota mensal...?

domingo, 28 de março de 2010

SCP vs Stiinta Bacau...........17h00 - Pav. Casal Vistoso

"Quando estávamos a jogar, e nessa altura denunciava-se muito o remate que era mais em jeito, havia um elemento que na claque gritava artilharia! e o resto da assistência gritava «boom»!

José Santos, também conhecido por 'Artilharia', ex-jogador de andebol de sete do SCP, campeão 55/56.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Ainda os incidentes no jogo da Liga Europa

Processo diciplinar instaurado ao Sporting e ao Atlético de Madrid. Vamos ver quanto nos vai custar a brincadeira.
E vamos ver se, em qualquer caso, se apuram, de uma vez por todas, as responsabilidades, sobretudo as internas, em todo este processo.

sábado, 20 de março de 2010

À rasca

Quando parecia que, apesar dos erros que foram sendo cometidos, o futebol do Sporting caminhava para alguma estabilidade e normalidade, eis que o famoso botão de autodestruição volta a ser usado. O que está a acontecer em torno de Izmailov é completamente inaceitável. Tendo em conta que se trata de um jogador que em três anos não deu origem a um único problema, que em mais do que um momento jogou com problemas físicos, que abdicou de férias para acelerar o processo de recuperação de uma lesão e que finalmente recusou uma transferência para um clube onde iria ganhar quatro vezes mais eu só encontro uma explicação para o que está a acontecer. O Sporting está à rasca de dinheiro, cortesia da mente que resolveu contratar Pongolle, por exemplo, e apenas para nos referirmos à conjuntura. Tendo em conta a escassez a direcção do Sporting negociou o jogador. O jogador não aceitou a transferência. Costinha foi contratado e está a implementar o modelo do Porto do Sporting. Mais do que preparar a próxima época parece ser essencial realizar dinheiro já. Para isso é preciso fazer com que o jogador tenha um ambiente insustentável junto dos adeptos e que queira sair pelo seu próprio pé. Pelos vistos está a ser conseguido. O ambiente insustentável junto dos adeptos não vou alimentar. O Izmailov é um dos melhores de sempre que já passaram pelo Sporting. Tudo isto é inaceitável e um problema sério é tentaram fazer de nós idiotas.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Hooligans de bairro

Sobre os confrontos de ontem, ver as informações contidas no ionline.
Excelente, também, este comentário (concordo com tudo excepto na referência milionária aos clubes ingleses - agora estão mais endividados do que nós).
Sobre isto e após ver o "líder" da juve leo (uma claque legalizada que recebe apoios do Clube) a prestar declarações na televisão, realço as declarações nas quais ele invoca que a guerra estava a correr bem, estavam a dar bem e já havia alguns caídos; tudo o que era espanhol era para abater (quer fossem trogloditas de claques, adeptos pacíficos ou estudantes espanhóis de passagem pelo terminal do campo grande); que os portugueses eram uns heróis que faziam lembrar a história de alguns anos atrás em Aljubarrota; vinham vingar tudo o que os espanhóis fizeram ao povo português (os benfiquistas agradecem) e também o que tinham feito no porto (os portistas agradecem); para finalizar que não iam escapar mulheres e crianças porque os espanhóis tinham feito o mesmo, que ele sabia que era nojento mas que também tinha filhos (ou seja critica a atitude nojenta dos espanhóis e declara-se, a ele, e aos outros nojentos por terem de fazer a mesma nojice).
Igualmente esclarecedor foi o arremesso de pedras e garrafas contra a polícia e os jornalistas (deviam ser todos espanhóis a abater) e o inerente pânico causados em todos aqueles que estavam no interface do campo grande a tentar apanhar os transportes públicos (esses portugueses também devem estar gratos).
A mim não me chocava nada que a Uefa tomasse medidas exemplares. Como anteriormente agiu nos confrontos dentro do estádio, punindo os clubes com penas de suspensão das competições europeias, é hora também de começar a aplicar essas penas para os hooligans que actuam fora dos estádios.
A ser assim, também os clubes já teriam fundamentos para executar a limpeza necessária dentro deles mesmos.
Para finalizar deixo umas notas para os comportamentos acima descritos:


Artigo 297º

Instigação pública a um crime
1 – Quem, em reunião pública, através de meio de comunicação social, por divulgação de escrito ou outro meio de reprodução técnica, provocar ou incitar à prática de um crime determinado é punido com pena de prisão até 3 anos ou com pena de multa, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal.

Artigo 298º
Apologia pública de um crime
E uma nota sobre os estatutos do Sporting Clube de Portugal:

Artigo 14º
(...)
2 - Não podem ser admitidas como sócios as pessoas singulares ou colectivas que tenham contribuído, por comportamentos considerados indignos, para o desprestígio de qualquer instituição desportiva, cultural ou recreativa ou às quais, pelo seu comportamento, não seja reconhecida idoneidade para serem sócios do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL.

Artigo 21º
Os sócios têm por deveres:
(...)
g) manter impecável comportamento moral e disciplinar de forma a não prejudicar os legítimos interesses do SPORTING CLUBE DE PORTUGAL, nomeadamente defendendo e zelando pelo património do Clube;

Artigo 29º
1 – São punidos disciplinarmente os sócios que cometam alguma das seguintes infracções:
(...)
c) proferir expressões ou cometer actos, dentro ou fora das instalações do Clube, ofensivos da moral pública;
2 – As sanções aplicáveis, em conformidade com a gravidade da falta, são as seguintes:
a) admoestação;
b) repreensão registada;
c) suspensão temporária;
d) expulsão.
(...)

Quando é que vamos voltar a ter uma enchente em Alvalade?

Um jogo que foi um tremendo desapontamento, um esforço inútil, um êxtase sem orgasmo, uma perigosíssima pedrada no futuro do Sporting. Se não no futuro longínquo, certamente no futuro imediato.
A derrota nestes oitavos de final da Liga Europa começou a desenhar-se há muito tempo. Não foi esta equipa, nem este treinador, nem sobretudo este público que ditaram este afastamento do Sporting.
Nem o afastamento do Sporting desta competição, ou de todas as outras desta época começou nesta época.
A condição do Sporting é, à partida, a de derrotado e derrotado tem sido.
Querem saber porquê? Porque esta política directiva, espasmódica e casuística, esta orientação miserável que tem sido seguida até hoje, é míope, não respeita o Sporting, os seus sócios, os seus adeptos, os seus símbolos. Vendeu tudo ao diabo do dinheiro. E querem saber outra coisa? Não surtiu efeito, o Sporting continua à rasca financeiramente.
O Sporting andou a ver a bola a bater na trave durante 18 anos, mas viu os seus sócios e adeptos não arredarem nunca pé. Logo que os gurus da gestão do Sporting quiseram "livrar" o Clube dessa contingência, a cada derrota insinua-se mais uma debandada.
Como dizia essa figura trágica do Sporting que é Soares Franco, no lançamento do livro que relata os seus feitos pela voz de um tripeiro de respeitabilidade duvidosa, as vitórias trazem os adeptos ao estádio. Mas, ao contrário do que acontecia no passado, as derrotas agora não nos fazem cerrar fileiras, afastam-nos.
E a partir de hoje, a 18 de Março, em pleno fervilhar da época futebolística, o Sporting vê a sua equipa afastada de todas as competições em que estava envolvido e esta vai certamente (e justamente!) ficar a jogar para cadeiras vazias.
Lá foi a bola bater na trave outra vez.
É preciso uma nova orientação, sem remendos. Isto que nos servem, não serve.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Dicas para o jogo com o Atlético de Madrid

Antes do jogo:
Amaciar a garganta com liquido (evitar a cerveja gelada e preferir o vinho tinto ou uma bebida destilada como o Whisky, Gin, Aguardente, Rum ou Vodka).
Durante o jogo levar uma caixa de Halls (ou similar, de preferência mentol-liptus).
Após o jogo, se a rouquidão persistir amaciar a garganta com um chá de limão, juntar uma colher de chá de mel (opcionalmente para quem gostar adicionar à água uma porção de Aguardente ou Vodka).

sexta-feira, 12 de março de 2010

Será que se enganaram?

Recebi há pouco um sms do Sporting dizendo que para assistir ao jogo com o Atlético, com a minha game box, tenho de pagar € 10,00!
Não se enganaram? No outro jogo com o Everton era € 20,00, nesta eliminatória baixou 50% o preço.
Ou se enganaram e deverei receber outro sms com o preço certo ou então é caso para dizer que finalmente alguém dentro daquele clube começa a ter juízo.

quinta-feira, 11 de março de 2010

domingo, 7 de março de 2010

Justiça Poética

Em tempo de contratações sonantes não deixa de engraçado o facto de terem sido Djaló e Saleiro (e não Pongolle) a ajudar a resolver as coisas nestes últimos jogos e que seja Pedro Mendes, contratado depois de os mais sonantes Ruben Micael e Manuel Fernandes terem fugido, um dos esteios da equipa neste momento. Por isso, cada vez que oiço falar nos milhões que vão ser gastos na próxima época estremeço de medo.

terça-feira, 2 de março de 2010

Baixar as guardas

Sem querer parecer um "bota-abaixista" militante --que não sou!--, acho que a vitória sobre o Porto, por muito saborosa e expressiva que possa ser, foi apenas isso: três pontos ganhos num campeonato perdido.
A vitória não deve fazer-nos esquecer o desastre que tem sido esta época, nem as origens deste descalabro. O pior que poderia acontecer aos Sportinguistas seria deixar caír as guardas por um motivo tão fútil e por um êxito tão pouco ambicioso.
E faz parte deste "baixar de guardas" pensar que, por termos ganho ao Porto, acabaram os problemas. Não acabaram, nem vão acabar enquanto se mantiver a orientação actual.
Se os sportinguistas se deixarem comprar por uma mísera vitória contra um Porto de segunda, então está o caldo entornado.
E, já agora, a proósito das declarações do Carvalhal, pode ele ficar estar descansado. Pelo menos pelo meu lado, não o considero vilão por ganhar apenas de dois em dois meses, nem passa a herói quando ganha um jogo depois de sete jogos sem ver o padeiro...