sexta-feira, 29 de abril de 2011

999 homens...

Se a notícia é verdadeira não pode deixar de se considerar boa. Ponto. Pedro Mil Homens foi-se e Couceiro vai substituí-lo à frente da Academia.
Não sabemos quais as verdadeiras razões que levaram (se levaram) a esta decisão, mas esta ideia de ter um lampião assumido à frente da "jóia da coroa" do Sporting sempre me pareceu um bocado abstrusa. Esperemos para ver...

Uefa Futsal Cup

Depois da brilhante vitória no jogo de hoje (3-2 contra o Kairat Almaty) a final joga-se domingo com os Italianos do Montesilvano, com transmissão na RTP 2 às 12:30.
Ainda bem que no Sporting existem as modalidades amadoras e que elas não acabaram como chegou a ser desejo de alguns.
Nestes últimos anos são estas que têm dado alegrias ao Sportinguistas e que têm dado títulos internacionais ao Clube.
Esperamos mais um no domingo e que passemos a ser o único Clube na Europa com títulos europeus em 5 modalidades.

terça-feira, 26 de abril de 2011

O novo plantel

As notícias sobre reforços que têm vindo a público não me merecem grandes comentários, ainda que suscitem alguns receios relativamente ao que a dupla Duque e Freitas vão preparando para a próxima época. A renovação do contrato com Izmailov é, contudo, uma excelente notícia. Se a seguir despacharem o Postiga prometo não dizer mal de nada durante uma semana inteira.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

João Pina campeão europeu! (Fica aqui os meus parabéns pois só soube agora depois de ter transcrito esta posta sobre a posse de bola do Barcelona)

Enquanto Jesus não é crucificado na cruz (resta saber se em Coimbra ou no Minho) e enquanto o Sporting continua na mesma, o João Pina não chega ao aeroporto com a medalha de ouro, vejo-me na circunstância de me virar pro Real Barcelona.
Já estou bem habituado às cretinices de jornalistas que, de tanto apego às banalidades ou falta de desapego ao manguito do Ronaldo na Luz, apenas se desacreditam e maculam o seu ofício. Mas não é da disputa Ronaldo vs Messi que aqui me traz.
É da superioridade moral do jogo do Barcelona. E da ligeireza com que muitos carimbam a melhor equipa do mundo da actualidade como a melhor de todos os tempos, ainda que esta só tenha ganho uma champions. Tem tudo ao seu alcance para ganhar mais duas ou três. Dependerá agora se se consegue manter na lucidez de Guardiola ou se cairá com a sobranceria de Xavi.

Para além do artigo de Carlin, espreitem portanto esta posta (aqui resumida) bem confeccionada por Miguel Pereira no Em Jogo.

«
A posse de bola é uma questão de moral"! Em Barcelona tentam vender essa superioridade intelectual mas o futebol está repleto de muitas morais...


Há uma histeria colectiva no ar. Irrespirável por certo.

Talvez o mesmo grito surdo que tinha rasgado os ouvidos de tantos no passado. O futebol está repleto de espartanos. De bárbaros. De egípcios preguiçosos. Mas há só uma Atenas. Uma reluzente capital da razão, do conhecimento, da verdade absoluta. Barcelona quer ser a Atenas do futebol mas para sê-lo antes tem de convencer o mundo que todos somos bárbaros, espartanos, persas, egípcios e ignorantes. E que devemos contemplar e adorar a luz da razão sem queixume. Os ensinamentos de Sócrates, Platão, Aristóteles são hoje as palavras de Cruyff, Xavi ou Rexach. Claro que Guardiola, nisto, não é como Temistocles, arrogante até ao fim.

Ouvir hoje Xavi Hernandez, talvez o melhor jogador espanhol da história, é algo profundamente comovedor. A roçar o ridículo. O centro-campista que pauta o jogo da escola blaugrana quer emergir como o arauto dessa verdade absoluta e impoluta.
(...)
Talvez, no meio de tudo isto, Guardiola seja aquele que melhor percebe esta realidade. Afinal, ao contrário dos seus, ele correu mundo e ouviu antes de agir. Ouviu Bielsa, ouviu Capello, ouviu Sacchi, ouviu Van Gaal, ouviu Ferguson, ouviu..pasme-se, Mourinho. E percebeu que como na vida também o futebol tem muitas morais. E nenhuma é superior à outra.
(...)
Porque, não nos enganemos. O Barça já não joga futebol: evangeliza. Educa o futuro. Quando Messi chuta a bola contra os adeptos rivais, ri e depois muda por completo a expressão facial, está a evangelizar. A fazer com que o Mundo acredite que o seu semi-Deus actual (como já foram Ronaldinho, Rivaldo, Figo, Ronaldo, Romário...todos não-catalães, todos mercenários da nova Atenas) é incapaz de cometer tal acto. É tudo um engano, tudo um erro de percepção. O "Messias" caminha sobre as águas mas nunca terá tanta humanidade em si para perder a cabeça como, digamos, um falso Ronaldo.
(...)
O Liverpool do final dos anos 70 não foi também a melhor equipa de todos os tempos? O Real Madrid do final dos 50? O AC Milan de Sacchi? O Inter de Herrera? O Manchester de Busby ou o de Ferguson valem? Lá Maquina do River? O Ajax de Michels?E as selecções da Hungria, Austria, Brasil, Alemanha, Uruguai, Argentina, França, Holanda? Que fazer com todas essas equipas que nasceram, cresceram, morreram e tudo sem evangelizar. Eram espartanos, bárbaros, egípcios ou persas? Não nos deixam saber.
(...)
Sentem-se no sofá e recebam o evangelho blaugrana, sintam-se inferiores porque a vossa equipa não tem a capacidade intelectual de João César Monteiro.»

quarta-feira, 20 de abril de 2011

DESAFIO A TODOS OS SPORTINGUISTAS - ESTATUTOS E REGULAMENTO ELEITORAL

"Estamos a trabalhar numa proposta de regulamento eleitoral (novo) e numa proposta de alteração de estatutos (podem consultar actuais no site do Sporting CP).

Temos aqui uma página com mais de 8.000 Leões e Leoas e gostava de lançar um desafio: que cada um, até à próxima Quarta feira, aproveitasse para pensar em sugestões claras e pormenorizadas de propostas para ambos (Regulamento e Estatutos) e me enviassem para o e-mail da candidatura.

Quanto mais pensada e aprofundada a sugestão melhor será esse contributo.

Podem fazê-lo de forma individual ou criar grupos de trabalho conjuntos.

Porque o Sporting CP somos nós, vamos juntos fazê-lo ainda maior e melhor!

Abraço e Saudações Leoninas!

Bruno de Carvalho 20.04.2011"

terça-feira, 19 de abril de 2011

Uma tremenda desilusão

Falei de Bruno de Carvalho antes das eleições em tons de esperança. Falo agora em tons de desilusão. Ao que parece, de acordo com o que foi noticiado em vários jornais, o candidato desistiu. Espero não estar a cometer um enorme injustiça, mas tudo isto me parece muito fraco, com pouca aderência ao terreno e perigoso para o futuro do meu Clube.
O Sporting está agora nas mãos de aventureiros legalmente investidos no seu papel.
Arrumado que está, como parece, o caso das eleições, volto à primeira forma: o meu candidato, aquele que melhor interpretou o que me parecia serem as necessidades de alteração de rumo no Sporting, não venceu, o Sporting segue dentro de momentos...
Não deixarei de reflectir sobre tudo isto e de extrair as devidas conclusões de todo este processo. Para já, fica uma tremenda desilusão. Cá nos encontraremos daqui a uns tempos...


PS- Uma adenda a este post. Há um sinal em todo este processo que me parece bastante revelador. Bruno de Carvalho foi capaz de criar um élan, ainda como candidato, que nenhum outro conseguiu. Há muito que não se via tanto entusiasmo em Alvalade. Conseguir mobilizar os Sportinguistas como o BdC fez é obra e é particularmente revelador do seu carácter. A actual direcção, é possível prevê-lo com facilidade, nunca será capaz de suscitar esse entusiasmo e deve ter ficado à rasca quando viu aquela resposta.
Porém, já não me parece possível recriar esse momentum original. São coisas que têm um tempo e uma estratégia de execução que é impossível recriar. Tudo isso se perdeu.
É a perda mais grave de todo este processo e a razão mais forte, confesso, para a desilusão.

Regras básicas para uma aposta racional na formação

Se tens um bom jogador de 18 ou 19 anos que daqui a dois anos pode ser titular não gastes fortunas a contratar jogadores para essa posição. No Liverpool, pelos vistos, já começou a funcionar. Este fim-de-semana jogaram três jogadores acabados de sair da formação contra o Arsenal no Emirates. Os laterais tinham 17 e 18 anos.
As Damien Comolli, Liverpool's director of football, has explained: "If there is a very good 18- or 19-year-old full-back we need to make sure that in two or three years they are in the first team and [do] not sign another player in front of him from outside. That's the strong message I give to the staff at the academy and also to the scouts. I say don't push players in a position where we already have a talented player. If we did then we may as well shut down the academy."

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Não aguento mais

O Postiga é uma nulidade. Alguém tire o homem da equipa e acabe com o nosso sofrimento. Pode ser que os tipos que acham que ele é um génio, tal como o Pereirinha e o Farneurd, ao contrário do Liedson que é uma merda, o queiram para jardineiro. É exasperante ver a falta de lógica e de competência para além da absoluta inutilidade de tudo o que o Postiga faz. O futebol do homem limita-se a ser uma tentativa, frustrada e frustrante, de se atirar para o chão e sacar faltas. É pena o Sporting não ser o Porto onde esse tipo de tanga colava um pouco melhor.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Expectativa

A probabilidade da providência cautelar vir a ter consequências ou sequer avançar é baixíssima. Tudo isto é mau. Espero que por parte da candidatura de Bruno de Carvalho haja um plano de contingência que preserve os valores defendidos (e nos levaram a apoiá-lo) e que a luta não fique por aqui.
A parada era alta, todos os sabíamos, e as consequências que tudo isto vai ter vão, previsivelmente, deixar marcas sérias. Aguardemos o que aí vem. Estamos aliás, justamente, todos em enorme expectativa, à espera de tudo o que aí vem para tirarmos as nossas conclusões...

quarta-feira, 13 de abril de 2011

sábado, 9 de abril de 2011

João Lourenço

Hoje em Alvalade é dia de homenagem a Artur Agostinho. Mas é também o dia daquele que não é homenageado. E que quase recusou sê-lo da última vez que foi a Alvalade. A mágoa não é com o Sporting, obviamente, mas para quem o tem dirigido e votado ao esquecimento muitas das suas ex-glórias. Falo de João Lourenço, o 2º melhor marcador de sempre (a par de Manuel Fernandes) nas provas da UEFA e autor dos quatro golos ao Benfica, na antiga lixeira, a 17 de Outubro de 1965.
Lourenço, completou anos ontem 69 anos. Foi jogador da Académica durante três anos e depois, já de leão ao peito, durante oito épocas, realizou 220 jogos, marcando 143 golos e conquistando dois Campeonatos e uma Taça de Portugal,.

Em entrevista à Odivelas TV, o ex-jogador conta-nos interessantes episódios da história do futebol português - como Otto Glória embirrava com ele, que foi o único seleccionado para o Mundial a não jogar em Inglaterra - e, a partir do minuto 07h53, dá-nos a sua visão do Sporting da altura e de agora, ainda que, por respeito, não revele publicamente as razões que o levaram a abandonar Alvalade.

Para ver aqui, porque o Sporting é, por direito, de e para todos os sportinguistas.

ps.- Lamento desapontar aqueles que pensavam que a divisão de que se fala é circunscrita à blogosfera ou aos apoiantes de BdC. Começou antes e perde-se em muita gente e lugares.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

A Alegoria da Auditoria

O empossado presidente do conselho directivo do Sporting resolveu numa atitude de evolução na continuidade (palavras de alguém da lista dele) incluir uma auditoria às contas do clube, contrariando o que era o seu programa eleitoral.
Esta mudança pode ser vista como um amadurecimento de posicionamento, o que não é caso único nos actuais empossados do mesmo órgão.
A efectivação da promessa de auditoria provoca em muitos sportinguistas um sentimento de satisfação, que poderá advir de finalmente acreditarem que vão ficar a saber a verdade sobre o que se passou na gestão do clube.
No fundo é como ideia transmitida pela alegoria da caverna, só que não vão chegar a sair da caverna e ver as formas na realidade. Esta auditoria, no fundo é meia auditoria. Se fosse o presidente empossado o autor da alegoria da caverna, os habitantes depois de muito protesto não sairiam da caverna, mas para além de verem as sombras das formas, poderiam ver as próprias formas na penumbra.
Sempre há quem diga que é melhor que nada e podem ter razão, é melhor um pobre comer bolos para enganar a fome do que não os ter.
Voltando a auditoria, aliás à meia auditoria, esta não me satisfaz, porque o que defendi e continuo a defender é uma auditoria externa financeira e de gestão. A auditoria financeira pouco vai dizer, limita-se a conferir se os auditores internos cumpriram as regras ou se meteram água no cumprimento desta, apenas apontando irregularidades na forma e possíveis lapsos. Não nos vai dizer se a gestão foi um não negligente, danosa, se a venda do património foi um acto que defendeu os interesses do clube, se o negócio com a opway (do ex-presidente vendedor e comprador) foi transparente, se a comissão para ao amadeu lima carvalho foi transparente, se a passagem da academia para a sad foi no interesse do Sporting, se a gestão das dezenas de empresas criadas durante o roquetismo foi danosa e por ai fora.
Não vamos ter acesso a toda a informação que deveríamos ter, mas como godinho lopes já defendeu que não estava disponível para aferir de toda a verdade, pois não queria ferir susceptibilidades, da minha parte só posso concluir que é porque quer esconder algo e não é com máscaras que se pacifica e se unifica.
Por isto se vê que esta anunciada auditoria, ou meia auditoria, não passa de um golpe de propaganda e é perfeitamente dispensável, pois sempre se poupava algum dinheiro que vai ser deitado fora.
Acrescento que, bruno de carvalho fez bem em não se juntar ao quarteto fantástico, pois de certeza que as pessoas de bem não iriam querer um vale e azevedo de terceira a participar numa auditoria financeira.
Quanto a mim, continuo na minha posição original de defender uma auditoria externa financeira e de gestão a todo o universo do grupo Sporting desde 1995, ou se fosse possível desde o 25 de Abril, pois a verdade não me incomoda.
Esta posição, da auditoria de gestão não é virgem e vem no seguimento da iniciativa lançada pelo movimento ser Sporting, que apresentou após recolha de assinaturas, enviou proposta ao então presidente da mesa da assembleia geral do Sporting, e que nunca chegou a ser concretizada.
Entre os mentores dessa auditoria estão hoje pessoas que "amadureceram" a sua posição, como o actual vogal do conselho directivo do Sporting, pedro da cunha ferreira (ver aqui) e o ex-candidato e actual vice-presidente paulo pereira cristóvão (ver aqui).
Pela minha parte, não amadureci nenhuma posição, ela continua verde, pois o amadurecimento célere, lembra-me a fruta, num instante passa a podre.

P.S.: Esta consulta de informação foi-me profícua, fiquei a saber que no actual conselho directivo apenas a responsável pela juventude tem um número de sócio superior ao do presidente (menos mau) e que até eu, que me fiz sócio aos 14 anos por iniciativa pessoal, sou sócio mais antigo do que o actual presidente do conselho directivo, que tem quase idade para ser meu avô. Deve ter sido por alturas da fé no roquetismo.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Cumprir as promessas eleitorais

Alguém sabe se nas paredes da Academia Sporting já foram colocadas as fotos do simão sabrosa e do moutinho?

terça-feira, 5 de abril de 2011

Frágil: se não se mexer parte-se

Podem fazer o escabeche todo à vontade mas há coisas que para mim não têm discussão. Além do rol de situações estranhas, que são públicas, duas das candidaturas afirmaram ter constatado irregularidades susceptíveis de se requerer uma impugnação. Susceptíveis porque, logicamente, ao se confirmarem, encerram em si uma séria probabilidade (nem que seja pela discrepância das "duas votações") de terem influenciado o resultado final ao ponto do vencedor das eleições poder ser outro! Verdade ou não é isso mesmo que tem de ser apurado. É isso que são os superiores interesses do clube. Não é só contar os votos e bora lá.. Se um acto eleitoral não é totalmente limpo, tire-se a limpo o que não está, pois a verdade precede tudo o resto.

E u não ando aqui a brincar ao Sporting. Quem não gosta de transparência nos processos democráticos é um problema seu. Mais lhe valia torcer pelo Al Ittihad de Tripoli, por exemplo. No clube do filho de Kadafi, garanto-vos, não têm cá merdas destas. Quem respeita os mecanismos democráticos e o direito à verdade, mas acha que ainda assim BdC está com mau perder e devia aceitar os resultados em nome da união do clube recomendo simplesmente que caiam na real. Sabem qual é o clube que se consegue unir debaixo de uma suspeita desta envergadura? Não existe. Muito menos um clube fragilizado como o SCP. Mesmo que infundada teremos em primeiro lugar de a esvaziar. Não subestimem o seu poder na primeira derrota de Domingos , de Hugo Almeida e de todos os supostos ex-jogadores do FCP que ainda faltam vir. Por mais que custe ao clube em termos imediatos, o menos custoso nisto tudo será o impasse da decisão do Tribunal. Tivessem mas era organizado as coisas como devia ser! Agora, quer se queira quer não, é o tribunal que irá decidir. Se não houver pernas para andar com a impugnação, fica resolvido. Se vier a haver eleições novamente, quem quiser poderá votar à mesma nos autores da farsa. Até porque, na Líbia, aquilo está meio tremido e não é certo.

A paz dos anjos. Ainda o cano da espingarda estava quente e já GL estava, vestido de avózinha na SicNotícias, com o cachimbo da paz na mão. Sim senhor, não se escondesse, por trás da fumaça, a mesma política de SF e JEB: dividir para reinar. Eu até dava um bafo no cachimbo não fora o que se passou antes e o que eu sei que ele quer que se passe a seguir. Ao convocar todos, numa inusitada pressa, para discutir uma auditoria pela qual até à véspera do dia das eleições nunca mostrara qualquer interesse, não estava senão a empurrar BdC para o meio de duas armadilhas: ou este se contradizia e desistia da impugnação ou ficaria com a imagem do gajo que anda a empatar isto e não quer pacificar o clube. BdC escolheu caír na segunda e bem. Teria muito mais a ganhar se aceitasse os resultados e, daqui por um ano, passado o estado de graça de GL e os flops das contratações do Freitas, candidatar-se e ganhar por margem confortável. A verdade é que, contra esse seu interesse pessoal (mas a favor do meu) não o fez. Veremos com que razões.

domingo, 3 de abril de 2011

O circo e a vergonha ou a falta dela

Estas eleições do Sporting demonstram mais uma vez o muito que há de errado com o futebol português. A imprensa que desempenhou até ao final dos anos cinquenta um papel fundamental na construção e divulgação do futebol português tornou-se desde o final dos anos oitenta no megafone dos poderes do futebol português. Cândido de Oliveira, Ribeiro dos Reis, Ricardo Ornellas, Tavares da Silva, entre muitos outros, devem estar a revolver-se nos respetivos túmulos.
O Record através do seu diretor, já veio pediu desculpa à oligarquia por se ter atrevido a sugerir na sondagem que o periódico divulgou que não ia continuar tudo na mesma. Diz que o " O erro residiu na ponderação final, da exclusiva responsabilidade do diretor deste jornal." Mas desde quando é que o diretor de um jornal aplica taxas de ponderação a sondagens? Onde é que está a ficha técnica da sondagem? O que é que a Entidade Reguladora da Comunicação, que tem o dever de "regular e acompanhar a realização e publicação deste género de estudos" tem a dizer sobre o facto de o diretor do Record ter uma palavra a dizer na "ponderação final da sondagem", seja lá o que for que isso quer dizer. Mas nada disto surpreende quando vem de alguém que se recusou a noticiar as escutas e a corrupção na arbitragem em Portugal sob o argumento de que não morde a mão que lhe dá de comer. É evidente que não. Ao mesmo já sabemos - como se não soubéssemos... - qual é a mão que lhe dá de comer. Dizia o diretor do Record, numa resposta a José Diogo Quintela: "Nós pertencemos a um circo que vive de emoções - de golos e de erros, títulos e de frustrações. E não temos vergonha disso.” O Jogo, alinhou também pela medida do Record. Mas, claro, o Jogo é propriedade de Joaquim Oliveira, que é o maior cliente de Pedro Baltazar. Mas vamos deixar isso de lado por instantes. A Bola, sempre alinhada com os poderes, sendo o único jornal que não "falhou" na noite eleitoral - seja lá o que for que isso quer dizer no cenário em que nos encontramos - chamou imediatamente Godinho para a limpeza de imagem, da mesma forma que há ano e meio tinha oferecido a Roquette um púlpito de onde pregar aos fiéis para os alertar dos aventureiros e aldrabões, que vieram um ano e meio mais tarde integrar a lista que apoiava. Mas o pior nem foi isso. Foi a notícia publicada às 00.07 de segunda-feira a anunciar os números finais das eleições. Os tais 14.619 eleitores e 91.842 votos que algumas horas antes eram 14.205 eleitores e 88-530 votos. Mas o pior não foi a publicação acrítica dos votos, como se não fosse suficientemente mau. Imaginem o que seria a Comissão Nacional de Eleições dizer que afinal a taxa de abstenção indicada no início da votação se alterou no dia seguinte à contagem dos votos. Nem em ditaduras saloias se observa este à vontade na manipulação eleitoral e mediática quanto mais no mundo civilizado. Mas, dizia, o pior nem foi isso. Foi a pura e simples mentira sobre a fonte. Às 00.37 de segunda-feira dia 28 de Março, e ao contrário do que afirma a notícia de A Bola, não havia qualquer indicação no site do Sporting sobre novos totais de eleitores e votos. A notícia que dava os resultados eleitorais tinha sido publicada horas antes, a meio da tarde, e sem totais. Porquê então escrever na notícia "Estes números, que estão no site oficial do clube, são superiores ao último balanço feito por responsáveis do clube, sábado após o último votante."?

sábado, 2 de abril de 2011

Complexos

A candidatura de Bruno de Carvalho entregou a providência cautelar com o objectivo de suspender os resultados eleitorais. A possibilidade esteve em cima da mesa desde o dia das eleições. Ansiava-se pela materialização dessa possibilidade. Cumpriu-se.
Como apoiante desta candidatura fico extremamente contente, saúdo a luta e penso que todos nos devemos solidarizar com ela. Mas devo também exprimir os meus receios.
A impugnação de uma eleição é um assunto sério. Do outro lado, temos um profissional do embuste. É um embusteiro, mas é um profissional, na linha de todos os embusteiros profissionais que passaram nestes últimos anos pelo Sporting.
Uma providência cautelar é assunto igualmente sério. Uma providência cautelar não é, ou não devia ser, uma acto banal. Deixa, ou devia deixar, marcas. Deixa, vai deixar marcas se ganhar, mas deixará marcas se for derrotada.
As causas pelas quais todos nós, apoiantes do Bruno de Carvalho pugnamos são um assunto ainda mais sério. Fico numa enorme expectativa quanto à seriedade que 1) a candidatura colocou neste processo e 2) nos propósitos de tudo isto. Não quero duvidar do Bruno de Carvalho (ou não lhe teria dado a minha confiança) e dos seus desígnios, mas espero sinceramente que tudo isto esteja solidamente escorado e que, mesmo no caso de uma derrota desta diligência, exista um plano de contingência que possa lidar com os danos colaterais que uma eventual derrota nos traga e preserve aquilo que interessa: ressuscitar o Sporting das trevas em que esteve mergulhado nestes últimos quinze anos.
É (só) isso que nos interessa, a nós que apoiámos o Bruno de Carvalho.
Apoiámo-lo porque achamos que chega de trevas e porque pensamos que o Bruno de Carvalho era, e é o intérprete deste nosso sonho.
Por isso espero que vença porque a sua vitória é a nossa vitória. Grande responsabilidade!