segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Com a verdade me enganas

Académica - Sporting

Devido a um imprevisto de última hora, ontem não me foi possível ver o jogo em causa.
Vi um resumo e os comentários dos actores e director da equipa do Sporting.
De salientar o golo de Liedson e o contentamento do tipo que é treinador da Selecção Nacional.
De admirar também a substituição do Pedro Silva, esta já é uma substituição à Inácio (saía Barbosa e entrava Tonito), agora saí Pedro Silva e entra alguém. E se ele não entrasse de início? E se o Vuk entrasse de início?
Confesso que fiquei estupefacto com as de declarações do nosso director de equipa, diz ele que o Sporting não jogou bem. Isso deve-se ao facto de a equipa ter ganho? É que quando não ganha joga sempre bem.
Mais para trás ficaram 45 minutos de compasso de espera. Será que aqui não há olheiros da Europa?
Será que alguém quer formar uma comissão de olheiros do fulham, everton e clubes similares para assistir aos jogos do Sporting?

No final fica a vitória do Sporting contra uma equipa com 1/4 do seu orçamento. O director da equipa do Sporting voltou a falar do orçamento, por isso e justo que aqui também falemos do assunto.
Outro assunto que voltou à baila é a imaturidade. Certo que a imaturidade é só dos actores, todo o resto é maduro como um tomate apto para a açorda de tomate.
Então ontem em campo a média de idades da equipa do Sporting era de 24 anos. A da académica era de 26 anos. O Sporting jogou com 7 jogadores portugueses e um naturalizado. A equipa da académica jogou com 8 portugueses.
Ora aqui a questão do propagado orgulho nacional não serve contra a académica, mas serve a da formação e da idade. Podíamos argumentar que o plantel da académica é em média mais jovem do que o do Sporting. O treinador da académica preferiu usar jogadores que colocavam em campo mais 2 anos de idade do que o do Sporting. O do Sporting preferiu colocar em campo os mais jovens. Mas isso não é opção dele? É, mas os mais jovens são melhores do que os mais velhos? Então de que serve o argumento da imaturidade se um jogador mais jovem joga melhor do que outro com mais idade?
Será que uma equipa com 24 anos de média de idade é uma equipa imatura? A formação acaba aos 21. Um jogador atinge o seu pico de forma entre os 23 e os 28.
No final não vi o treinador da académica queixar-se da imaturidade do seu plantel, mas teve o desplante de se queixar do árbitro, o calimero, dizendo que não tinha expulsado o Pedro Silva.
Para o fim uma palavra para os elementos que foram a Coimbra, um bem hajam. Decerto encontraram muitos tipos do conselho leonino e tertúlia do croquete lá pelas bancadas do povo.

p.s.: ainda a respeito das idades e maturidades do jogadores, ao almoço fiz uma secção de consulta estatística e consultando o zero a zero e o futebol 365, para este início de época apurei o seguinte:
No Sporting a equipa tipo tem sido Patrício; Carriço; Polga; Marques: P. Silva; Veloso; Moutinho; Matias; Vuk; Liedson e Postiga.
A média de idades é de 24,55, o total de jogos apenas em ligas nacionais (excluindo competições europeias e selecções) é de 1384 jogos - média de 126 jogos por jogador.

No porto a equipa tipo: Helton; B. Alves; Rolando; A. Pereira; Fucile; Meireles; Fernando; C. Rodriguez; Belluschi; Falcão e Hulk.
A média de idades é de 24,55, o total de jogos (idêntico) é de 1445 - média de 131 por jogador.

No benfica - exercício mais complicado definir um 11 - mas sem vendo os jogos deles a minha análise vai para o seguinte 11 tipo neste início de época: Quim; Luisão; D. Luiz; R. Amorim; Sidnei; J. Garcia; Ramires; P. Aimar; Di Maria; Óscar Cardoso e Saviola.
A média de idades é de 24,91, o total de jogos (idêntico) é de 1575 - média de 143 por jogador.
A principal conclusão, em termos de idades, como já referi no post anterior o Sporting é quem tem uma média de idades superior a benfica e porto.

Em termos de idade comparativa entre os 11 jogadores mais utilizados, Sporting e porto estão idênticos e ligeiramente inferior a benfica.
Em termos de experiência - jogos (apenas nas ligas principais) - a equipa base do Sporting tem menos cerca de 60 jogos que o porto e 190 do que a do benfica. Em termos medianos significa que cada jogador do Sporting tem menos 5 jogos que os jogadores do porto e menos 17 do que os jogadores do benfica.
Concluindo, se em relação ao benfica o 11 base do Sporting ( e não o plantel) é mais jovem e tem menos jogos em relação ao porto a situação é semelhante. Identica idade do 11 base e quase igual número de jogos. Mas como sempre que convém, vai-se elogiar a formação, dizer que é um orgulho mas que ainda é muito jovem e que é imatura. Ou seja é imatura mas um motivo de orgulho.
Ainda a ter em atenção que, na equipa do benfica não sei, sem lesionados qual será o 11 tipo para além deste. Na equipa do porto, parece-me que em teoria os melhores jogadores serão os que referi e que formam o 11 base. No caso do Sporting não contei com Ângulo e parece-me que em teoria a equipa do Sporting ainda ficará mais velha e com mais jogos, com a inclusão de Izmailov e de Caneira.

p.s.2: Ontem li uma noticia na qual a Uefa tinha aprovado um regulamento sobre a saúde financeira dos clubes de futebol. Que lá para daqui a 2 ou 3 épocas só poderiam participar clubes que gerassem mais receitas do que despesas. Parece que vendendo património ou algum jogador conseguimos lá chegar, por isso a nossa situação não é grave. A ver como vai ser este ano sem a champions, mas como o nosso projecto não está dependente da bola que bate na trave...
Pior é para clubes como o Chelsea, o Manchester United ou o Liverpool. Aqueles modelos fabulosos de gestão e bandeira de comparação para qualquer dirigente Sportinguista da geração roquete e soares franco e recentemente o insuspeito Dias Fereira.
Curiosamente não vi ainda qualquer alusão de Dias Ferreira a este facto e à sua defesa do modelo societário do Sporting idêntico à daqueles clubes ingleses.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Liga Europa

- Sporting no grupo D (a 1ª equipa a sair das bolas);
- Heerenveen (foi a penúltima e automaticamente colocado no nosso grupo);
- Hertha Berlin (havia o Fulham...);
- Ventstpils - acho que é isto.

Foi um sorteio positivo, havia no 2º pote equipas com mais orçamento e no 3º equipas com menos orçamento, no 4º a única equipa da qual nunca tinha ouvido falar.
O negativo será a fraca afluência ao estádio que as equipas adversárias terão, com excepção da equipa alemã.
Temos mais que obrigação que ganhar os dois jogos contra a equipa de nome esquisito e pelo menos ganhar em casa aos outros dois.
Pela qualidade individual dos jogadores, a classificação é um mínimo exigível.

O grupo mais fraquinho: PSV; Kobenhavn (com um risco na letra o); Sparta Praga; Cluj.
O grupo mais forte: Villarreal; Lazio; Levski Sofia; Salzburg ou então Valência; Lille; Slavia Praga; Génova.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

A idade da falsidade

Agora a moda é outra vez a (falta de) idade dos jogadores do Sporting.
Agora é que não se pode pressionar os bebes.
Vamos ver o mito da idade.
Já no post abaixo referi que o Porto de Co Adrianse foi campeão com uma equipa mais jovem do que a nossa. Argumento seguinte: a falta de dinheiro.
Mas então ou é um ou é outro.
Resposta são os dois.
Mas a idade como já vimos não pode ser um argumento final em si mesmo.
Como o presidente disse que não ia haver choradinho com o orçamento, eis que agora passados dois anos volta-se a usar o argumento da idade.
Estranho que esta equipa é uma eterna jovem. Este ano o único sub-21 que entrou foi o André Marque e subitamente esta equipa está mais jovem do que há dois anos.
Estranhamente ninguém fala que a média de idades deste ano da equipa do Sporting é de 25 anos, e que juntando duas casas decimais o plantel do Sporting é mais velho do que o do benfica e que o porto. Aliás no ano de Co Adrianse a média de idades do Plantel do Porto era de 23,47. Curioso.
A única verdade estatística é que a equipa da Fiorentina era mais idosa do que a nossa.
Será que esse argumento é decisivo.
Complementa-se o argumento estafado da idade com a naturalidade dos jogadores. Ou seja os nossos eram da cantera e por isso não eram tão bons. Podemos concordar que na sua totalidade a média dos jogadores italianos é melhor do que a dos Portugueses?
Eles são campeões do Mundo e no último europeu ficaram à nossa frente. Mas no mundial e no europeu anterior foi ao contrário. O ainda actual melhor jogador do mundo é português.
Permanece a dúvida (foi dar de desconto a era Queirós).
Então a argumentação vai acabar na idade conjugada com a naturalidade e a cantera da equipa.
Debatido o argumento da idade e da naturalidade, pois se não temos dinheiro temos qualidade e quantidade em qualidade - senão mais vale dizer que a nossa formação e os jogadores formados no clube são uma merda, ou que é um motivo de orgulho disser que temos formação mas quando não ganhamos a culpa já é da formação que não presta. Esta argumentação é contrária em si mesma.
Assim quem tem formação investe nela em vez de investir nas contratações, é um princípio válido, discutível, moroso. Mas é válido e no caso do Sporting tem tido qualidade.
Falta complementar essa realidade com o dinheiro para apetrechar as lacunas da formação ou aguentar os jogadores da formação. Mas uma coisa curiosa. Para quem fala de idades, de jogadores do mesmo país e da formação, proponho este exercício. O campeão europeu do ano passado jogou contra o Sporting em Camp Nou com 5 jogadores da formação, sendo 4 espanhóis; o Sporting jogou com 4 jogadores da formação e 6 portugueses. E Alvalade o Barcelona jogou com 5 jogadores da formação e 4 espanhóis; o Sporting jogou com 7 jogadores da formação. Na final da Champions o Barcelona jogou com 7 jogadores da formação, sendo que 6 eram espanhóis. A idade média do plantel do Barcelona nessa época era de 24 anos, menos 1 ano do que a equipa do Sporting tem este ano.
Assim o argumento da cantera/naturalidade/idade não é explicativo do baixo nível exibicional e de resultados desta época.
Outros argumentos válidos poderão ser a falta de qualidade da formação do Sporting (falso) ou a falta de qualidade do jogador português (falso). Verdadeiro pode ser a falta de capacidade financeira para colmatar as posições deficitárias da formação.
Mas essa vertente não será suficiente para, só por si justificar a falta abissal de qualidade no futebol demonstrado. E esse já ficou demonstrado em épocas passadas no confronto directo com os outros grandes. Por isso a conclusão só poderá ser que a tal baixa exibicional e de resultados só pode ser imputada a outros factores relativos com motivos psicológicos, de treinamento e de estagnação do modelo de jogo e dos jogadores.

Pós Champions

Esta foi uma eliminatória à Sporting.
O jogo de ontem foi um jogo à Paulo Bento. Faltou um bocadinho de qualquer coisa.
Muito pobre tecnicamente, o encontro de ontem foi a antítese do jogo da 1ª mão.
Foi a festa do pontapé para a frente.
Salvou-se os primeiros 30 minutos, com segurança e confiança a meio campo, com jogo jogado pelo chão e passes em profundidade, contra uma Fiorentina que não joga em catenaccio. Joga com a defesa subida e as linhas afastadas. Antítese do típico futebol Italiano.
Da Fiorentina já se esperava, meter a bolas para o jogador poste do ataque - Gillardino. Do Sporting não se esperava, não tem jogadores para isso, e a sua melhor arma é a circulação de bola em ataque apoiado. O relvado não explica tudo.
Pode-se argumentar com o jogo da 1ª mão. Bastava uma exibição igual para passar. Mas faltaram outras coisas. Além do pontapé para a frente e dos laterais de jeito, faltou uma defesa sólida e um ataque concretizador.
Desta vez foi bom de ver a entrega e o cumprimento dos jogadores, isso nunca foi motivo para o resultado, apenas o modelo de jogo e a falta de categoria/forma de alguns elementos.
Do outro lado, uma equipa Italiana - muito forte mentalmente - a realidade, sempre que precisou de marcar -lo, veio para o ataque e marcou, foi o que precisou, curto e grosso.
Depois o desequilibrador - Jovetic - na 1ª mão depois de tirar dois jogadores do caminho rematou contra Patrício e não acabou com a eliminatória, ontem redimiu-se e concluiu a eliminatória.
Do Sporting é de estranhar esta alternância comportamental dos seus jogadores. Será que é apenas a visibilidade europeia? Temos as cenas dos próximos capítulos para desvendar.
Uma palavra para o banco do Sporting. Não havia mais além de saleiro. Havia Adrien, havia a possibilidade de manter Matias, havia a possibilidade de jogar em 3-3-4. Não havia era necessidade de meter o Tonel a atrapalhar o ataque.
Agora muitos se queixam da falta de soluções no plantel. Mas o plano está a ser cumprido à risca, apenas e só 24 jogadores, o que o Treinador desejou. Contratações para jogar apenas num modelo com médios interiores e sem médios alas, apesar de os haver lá. Vuk (avançado ou médio ofensivo que pode jogar na ala), Pereirinha (extremo de formação) e Izmailov. Parece que ontem já faziam falta outras soluções posicionais e outra táctica estudada.
Pena que com a saída de Matias o Sporting praticamente deixasse de jogar a bola e passasse a bombear bolas para o melhor jogo aéreo dos Italianos. Mas o que se passou passou e o que interessa é que esta exibição deixa as coisas como estão, no limbo.
Certamente que uma opinião comum é que afinal o Sporting consegue jogar de igual para igual com equipas dos principais campeonatos europeus. Essa não tem sido a questão principal (exceptuando os tubarões do ano passado), a equipa tem valor individual, tem se batido com Porto e Benfica, mas branqueia sempre com os orçamentos mais reduzidos e equipas de menor dimensão, não tem regularidade. A desculpa da da idade já não colhe. Talvez a da idade mental, mas isso trabalha-se no dia a dia, em idade competitiva vi nas estatísticas (não sei o link) que esta equipa do Sporting já tinha mais jogos em competições europeias do que a equipa da Fiorentina. No campeonato também já não colhe, esta deve ser a equipa que tem mais jogos juntos, quando o Porto foi campeão com Co Adrianse a equipa do Porto era mais jovem do que a equipa do Sporting de então, e do que a deste ano.
Resta o argumento tipicamente Sportinguista e tão Português: agora é que vamos melhorar, temos esperança que as coisas vão mudar para melhor. Só mesmo a esperança metafísica, porque a experiência ensinou o contrário. Já não tenho crença na mudança e no salto danoninho que falta. Não é preciso tempo, esse já corre há muito tempo e a sua vida já vai longa.

P.S.: tal como disse Dias da Cunha após a eliminação com a Udinese no apuramento para a Liga dos Campeões na época qualquer coisa com Peseiro, também ontem com duas arbitragens daquelas o Sporting tinha passado. E ontem o árbitro até foi amigo.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A ORQUESTRA DO TITANIC

Antes da final da taça dos campeões europeus o treinador do Barcelona mostrou ao seus jogadores um vídeo com imagens do filme Gladiador.
Ontem antes do jogo com a Fiorentina o treinador do Sporting alegorizou o jogo com o filme Titanic.
Só espero que ele não coloque imagens do filme antes do jogo, senão vamos ter um barco a ir ao fundo com um capitão agarrado ao leme e quem se salva são as pessoas que saem nos botes, as mulheres, as crianças e os espertos ou cobardes. Esperemos que os jogadores do Sporting não sejam tentados por essa imagem.
O que me preocupou no Titanic foi que quem também se salvava era o director da companhia proprietária do navio, assim uma espécie de dono do barco.
A ser como o Titanic, a única coisa boa era que a orquestra também foi ao fundo, eram aqueles que enquanto o navio se afundava continuavam a dar música, aqui se percebe que muita gente dentro do Sporting deve adorar este filme, tal como os paineleiros e chulos jornalísticos.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

SÃO ZEFERINO

Em 26 de Agosto (amanhã) celebra-se o dia em honra de São Zeferino.
Nasceu e morreu em Roma e foi papa de 199 a 207.
Aconselha-se vivamente todos os Sportinguista que possuam uma imagem deste santo a dedicar-lhe uma vela ou uma reza. Também se pode fazer uma promessa - tipo ir a Roma a pé e voltar.
Não podemos esquecer o rui patrício, que reza a todos os santos e anjos - para que inclua uma reza especial a São Zeferino. Peça por ele (nas suas saídas entre os postes) e por paulo bento, para que o santo lhe ilumine o caminho correcto.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Mais um ano para colher os bois

Passado mais um excelente ano, eis que alguém aproveita o Sporting Clube de Portugal para promover os seus desejos freudianos, com a tourada do Sporting - versão 2009.
A opinião aqui expressa continua actual (basta trocar a palavras franquista por bettencourista).
De resto, apenas torcer para que haja mesmo sangue na tourada, acabe tudo à porrada, o touro salte para a bancada e enfie os cornos nos intestinos do gajo insiste em promover o nome do Sporting desta maneira, já não bastava a tragédia de Munique.
Ainda espero que se apresente uma moção nas assembleias gerais para que não se continue a conspurcar o nome do Sporting com actividades que nada têm a ver com as suas premissas.

domingo, 23 de agosto de 2009

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Delírio pós Fiorentina #1

Em Dezembro chega o André Cruz e o César Prates e está feito. Em Maio invadimos o Marquês.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Umas migalhas para o mendigo faminto

Como todos os meninos uruguaios, eu também quis ser jogador. Jogava muito bem, mas só de noite, enquanto dormia: de dia era o pior perna-de-pau dos campos de meu país. Como torcedor, também deixava muito a desejar. Alberto Schiaffino jogava no Peñarol, o time inimigo. Como bom torcedor do Nacional, eu fazia o possível para odiá-lo. Mas Schiaffino, magistral, armava o jogo do seu time como se estivesse do alto da torre mais alta do estádio, vendo o campo inteiro. Eu não tinha saída a não ser admirá-lo. Os anos passaram e com o tempo acabei assumindo minha identidade: não passo de um mendigo do bom futebol.

Eduardo Galeano, Futebol ao Sol e à Sombra

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Props reloaded

Ena Ena

Finalmente jogou-se à bola esta época !

Critérios

Mário Duarte, na sua coluna de opinião no jornal O Jogo, já procura vacinar os adeptos do Sporting contra um resultado desfavorável mais logo. "O técnico que levou a equipa a fazer melhor e a bater o pé a outros com mais do dobro, enfrenta hoje o quarto classificado italiano da época passada - o Nacional lá do sítio -, que tem "só" o dobro do Sporting (Gilardino ou Mutu, por exemplo, duplicam o salário de Liedson, e o orçamento "não chega", este ano, aos 50 milhões - os dias são de vacas magras...), por forma a garantir a quarta participação consecutiva na selectiva Liga dos Campeões, enfrentando o desafio de... convencer os adeptos.", diz Duarte. Foi pena que depois do empate com o Nacional ninguém se tivesse lembrado do malfadado orçamento. É que o do Nacional da Madeira é para aí 1/5 do do Sporting.

domingo, 16 de agosto de 2009

Twitadas

Algumas sugestões para JEB escrever no seu Twitter:

"Deixem jogar o Matias!"

"Deixem jogar o Vuk!"

"Deixem de fora o Bola 8!"

"Torna-se claro que esta equipa é forte e capaz. Não precisamos de reforços! Já lá os temos. Viram como os nossos melhores jogadores só entraram na 2ª parte."

domingo, 9 de agosto de 2009

Regresso Figo

Acho que todos deveríamos ter consciência disto! Estou plenamente de acordo com o Óculo! É curioso que precisamente à mesma hora que o post foi colocado, estava a debater o tema com o Paulinho Cascavel, que me fez agora o favor de enviar o link.

sábado, 8 de agosto de 2009

Para ler

Duas postas com uma perspectiva interessante, uma sobre a táctica e o papel do 10 no esquema do Sporting - aqui - e outra sobre a formação no Sporting - aqui.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

É o orçamento meus amigos, o que se há de fazer?

"...disse Bettencourt, lembrando que o Twente tem um orçamento idêntico ao do Sporting e que só à equipa "leonina" era "exigida a vitória".

Aflige constatar como, hoje em dia, o orçamento do Sporting está para os dirigentes do clube e para alguns "especialistas", como a crise está para alguns governantes e patrões: serve pra justificar tudo e desresponsabilizar todos.
Ambas as situações remetem para a mesma corrente de pensamento, o pensamento Walt Disney. Assim como muitos "analistas" gostavam de atribuir vida a coisas inanimadas "o mercado decidiu...; a vontade dos mercados..." (e depois catrapumba!), os gestores do Sporting e outros exemplares também adoram falar do Orçamento como se fosse ele a decidir jogos, campeonatos ou a determinar o desempenho e valor da equipa. Com a agravante que, por oposição às justificações baseadas na 'crise', trata-se: 1. de um problema "interno"; 2. não foi despoletado pelo Madoff; 3. e por este andar, daqui a pouco estão-nos a chamar loucos por exigirmos mais do que o 3º lugar!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Twente - Sporting

Mas alguém tinha dúvidas do desfecho?
Que nunca mais se invoque em vão o nome da sorte.
Agora que os mínimos estão alcançados podem pedir ao homem que saca as bolinhas uma equipa mais fácil do que o Twente. O paulo bento merece.
Quanto a mim pode mesmo vir uma Fiorentina, acho que a nossa equipa está mesmo bem é na Taça Uefa, é uma competição ao seu nível.
Mais vale uma prestação honrosa na Uefa do que uma ridícula na Champions.
O lema do Sporting XXI - pobres mas honrados.