quinta-feira, 17 de março de 2011

Que projecto para o Sporting?

Infelizmente, não é uma reflexão positiva aquela que aqui vos trago. Também não é apocalíptica! Primeiro, porque o assunto o não justifica e, depois, porque the show must go on e irá, seguramente, continuar....
Já aqui tinha falado neste absurdo em que se tornou a eleição no Sporting, em que em vez de ideias agregadoras e mobilizadoras, os candidatos decidiram jogar para cima da mesa nomes. Tudo começou com o "director desportivo". O absurdo ia-se cavando à medida que se iam sucedendo os "candidatos" a director desportivo. Depois vieram os candidatos a vices e a presidentes de AG. Sucederam-se os candidatos a treinadores e até olheiros. Agora vêm, finalmente os candidatos a velha glória de serviço.
Este caso das "velhas glórias" é especialmente chocante porque eles são símbolos do Clube, são bandeiras. Se se remetem à condição de simples apoiantes deste ou daquele candidato, se se prestam a participar neste desígnio que deveria ser empolgante, como simples peões de brega, é porque eles próprios, que são símbolos, que são bandeiras, acham que não há nada para simbolizar para além de se transformarem em mero emblema do seu candidato.
Na prática, hipotecar as "glórias" desta forma é como o Sporting passar a ter, não uma única bandeira, mas tantas bandeiras nos mastros do estádio quantas as facções dentro do Clube. Na prática é isto, porque as velhas glórias têm este estatuto. O Sporting não parece capaz de gerar uma realidade única, passível de ser acolhida por uma única voz, a que os outros símbolos se submetam. O resultado é isto: cada "velha glória" para seu lado...
Chamo-lhes velhas glórias, mas deveria chamar-lhes "glórias defuntas" porque ao tomarem partido por este ou por aquele candidato, estão prestes a perder o estatuto de velha glória e a ganhar o novo estatuto, mais prosaico, de apoiantes da lista vencedora ou derrotada da próxima eleição. Ficámos sem ou quase sem símbolos com esta eleição. Nenhum de nós, no fundo, no fundo, vai perdoar a estes apoiantes muito especiais o apoio à lista derrotada, no caso da nossa lista vencer, ou irá deixar de os culpar por terem contribuído para a derrota da lista em quem votámos.
Eu também não! Se o meu candidato não ganhar, não reconheço a nenhum outro, por mais "velhas glórias" (alguns de glória mais que duvidosa...) que tenham arrebanhado para o seu séquito, capacidade para unir os Sportinguistas na sua pluralidade e incluo no desastre as "glórias" que os apoiaram. Não há "democracia" que me faça perdoar-lhes.

Um projecto para o Sporting, que é dele?

O Sporting, que muitos dizem revelar nesta profusão de nomes de candidatos, de apoiantes e de apoiantes a candidatos a candidatos, uma enorme vitalidade, revelou afinal uma coisa que eu já há muito, muito tempo vinha receando: está totalmente esfrangalhado.
Falo por mim. Ao ponto a que isto chegou, vou apoiar um candidato e se ele não ganhar desligo-me do Clube. Não há cá "democracias". Nestas coisas de clubes, ou há ou não há capacidade para erguer um projecto colectivo e eu estou ou não estou disposto a participar nele.
Neste caso, ou há uma vontade colectiva clara, ou há tolerância e vontade de consenso, ou eu abandono a luta. Como, de resto, já há muito, milhares de Sportinguistas fizeram, fartos da confusão em que se tornou o Clube. E fizeram-no sem que alguém tenha conseguido parar a sangria. Hoje (dizem, não sei se alguém sabe ao certo) parece que há pouco mais de 15 000 sócios pagantes nos Sporting. Já fomos mais de 100 000...
Dito por outras palavras, vou escolher o candidato que me parece mais capaz de unir os Sportinguistas deste Sporting de hoje, que se quer moderno, a enfrentar o século XXI, e se ele não ganhar afasto-me porque não reconheço nos outros qualquer capacidade para fazer o que um candidato a Presidente do Conselho Directivo do Sporting tem absolutamente de fazer se quiser devolver capacidade de sobrevivência ao Sporting: unir os Sportinguistas!
A existência de uma tão grande diversidade de apoiantes e de figuras, figurinhas e figurantes que apoiam este ou aquele candidato diz-me, a mim, que estes candidatos, com excepção do meu, não estão dispostos a encontrar um ponto de encontro com os outros e regenerar a capacidade de continuar este projecto colectivo que se chama Sporting Clube de Portugal.
O Sporting é um CLUBE e os Sportinguistas têm de estar reunidos em torno do "ideal Sporting". Se não estão, é preciso uni-los. Se não houver capacidade para o fazer não vale a pena continuar. A presente campanha eleitoral indicia que há candidatos que não querem unir os Sportinguistas, que apenas os querem dividir para assim tomar conta do poder e continuar a mungir a vaca.
Esta é a realidade a que chegou o Sporting hoje e é preciso, creio eu, que todos estejamos conscientes dela.
Todos pensamos pela nossa cabeça e todos temos o direito e o dever de o fazer, mas um projecto colectivo faz-se unindo as visões de todos numa só. Tempos houve em que a pluralidade de ideias sobre o Sporting deu origem a uma única realidade, pujante e por isso vencedora. Hoje só subsistem divergências profundas e daí as derrotas.
Se ganhar o candidato que entendo mais capaz de superar essas divergências continuo a achar que vale a pena prosseguir a luta. Se não ganhar, desta é que já não aguento mais e vou mesmo embora.
Eu quero unidade.

8 comentários:

Mr.FC disse...

Caro Anjo Exterminador,

Que pena tenho de ver o Sporting assim. A sua visão presidencialista do Sporting deprime-me.Vai abandonar a luta? Recolhe ao balneário? Peço desculpa pela franqueza, mas isso é indigno de um sportinguista de raça que tenho a certeza que será. Não acha que, seja qual for o presidente, nos devemos unir em esforços conjuntos para reerguer o nosso clube? Ele (Sporting) não lhe merece mais que isso? O Sporting somos nós, já diz a JL e o nosso espírito guerreiro sempre foi uma das nossas características genéticas. Peço-lhe encarecidamente que repense uma decisão, que só posso julgar como irreflectida.
Saudações

Anjo Exterminador disse...

Amigo Mr.FC obrigado. O que é indigno de um Sportinguista é ter os inimigos dentro do Sporting, ter de os aguentar e pagar ainda por cima...

Anónimo disse...

O Sporting Apoio e o Nuno Mourão particularmente têm sido uma ajuda grande na divulgação via site e twitter das actividades da Fundação.
Não podemos nem queremos deixar de dar um abraço forte solidário e muito leonino por isso!
Infelizmente a seguir ao jogo de futsal na Luz tenho de me ausentar de Lisboa por motivos pessoais e por isso não poderei ir.
Deixo aqui uma mensagem:
Sou um homem de paixões fortes e ardentes e a minha família, o Sporting CP e as crianças e jovens que apoio são parte integrante do que fui, sou e quero ser.
Para a Fundação e as nossas crianças e jovens uma mensagem de amor diário, para o Sporting CP uma mensagem de amor eterno!
O Sporting CP é a nossa filosofia de vida, é a nossa declaração e direitos e deveres, a nossa estrela mestra que guia a nossa conduta enquanto homens, mulheres e desportistas.
Ser do Sporting CP não é apenas ser do melhor e maior clube do mundo! Não é apenas ter o orgulho de ser de um dos clube do mundo com mais títulos ou do 3º a nível de títulos europeus. Não é apenas ser do clube do rei da selva ou da cor da esperança. É ser de facto diferente! Mas o que é ser diferente? É ser algo anormal? É ser algo exclusivo? É ser algo inatingível?
Não, ser diferente significa apenas estar neste clube com o coração e com a razão! Significa apoiar sempre! Contribuir para o crescimento e harmonia! É pertencer a uma família que se quer unida e forte. É alimentar uma discussão sadia e elevada, sempre com objectivo de propor soluções e não de semear ou impor discórdias.
Ser diferente não é viver de poder e contra poder, de direcção e oposição, de compadres e inimigos. Ser diferente é apoiar, em todas as circunstâncias, todos os que partilham esta nossa filosofia: o ser sportinguista! Temos e devemos de uma vez desmistificar a questão de haver ou não verdadeiros sportinguistas e falsos sportinguistas. Sportinguistas só existem de um género: verdadeiros e dignos! Não há graus distintórios impostos por nós, a distinção a natureza a faz, uns têm outros gostavam de ter, uns são do Sporting Clube de PORTUGAL, e outros são clubes de bairro que quando forem grandes querem ser como nós.
A nossa preocupação não é interna é externa, lá fora é que andam os tais outros, os que jogam contra nós e por vezes, para nossa angustia nos levam a melhor. Esses sim são os falsos sportinguistas pois falso é todo aquele que aparenta ser uma coisa quando não o é, e eles de facto não são bons por muito que ganhem.
Se queremos ser, por mais 100 anos de cada vez, ainda melhores e ainda maiores temos de nos unir! Temos de dar espaço a quem foi mandatado para presidir, temos de apresentar as nossas ideias e dar as nossas contribuições mas perceber que existem tempos e locais para tudo.
Um local de apoio é um local onde exaltamos o nome do Sporting CP, onde divulgamos aos mais novos as regras que nos guiam, os valores que nos regem, o nosso historial, a nossa grandeza, a nossa diferença, no fundo fazer aquilo que nos fazemos na Fundação com as crianças carenciadas e com necessidades especiais, ensinar-lhes as regras e valores para poderem crescer com cidadãos activos e de plenos direitos.
É nosso dever de sportinguistas passar a mensagem a todos para poderem também terem uma vida de plena harmonia consigo e com os outros e essa é a verdadeira essência do ser sportinguista!
Que o apoio signifique família, que o apoio signifique valores, que o apoio signifique paixão!
Viva o Sporting CP e vivam todos os Sportinguistas!
Bruno de Carvalho

Anjo Exterminador disse...

Vamos a eles Bruno!!!!!

Derland disse...

Muito legal seu blog e otimo, e muito criativo, se depois vocês quiser olhar o meu blog e dar a sua opnião eu ficarei muito grato: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

Anónimo disse...

Só discordo de uma coisa...:

Ao contrário do que diz o responsável deste espaço...eu apoiarei o Presidente que ganhar as eleições, porque ele representa o Sporting e o Sporting terá que estar acima destas lutas...!!

Confesso que o meu candidato é o Bruno Carvalho...
Entendo ser ele o melhor para voltar a dar ao Sporting o elan que lhe vem fugindo por culpa de más direcções constituídas por péssimos dirigentes...!!

Mas se o Bruno for derrotado (o que não acredito...), ele mesmo não vai deixar de se empenhar na maior glória do Sporting...

É que meus amigos se assim não for, então...

O Sporting não é mesmo o vosso grande amor...!!

Sporting Sempre

Leão do Oeste

Anjo Exterminador disse...

Pois, isso é muito bonito mas o pior é que o Bruno de Carvalho parece ser seguramente o único capaz neste momento de aguentar o ideal do Sporting. Os outros, ou não querem o ideal Sporting (e estão lá mesmo para o destruir!), ou não têm capacidade para o fazer, o que na prática vai dar ao mesmo.
Essa gente deveria saber que não conta com os Sportinguistas para destruir o Sporting. Isso é amor!!! Às vezes as coisas não são a preto (ou verde!) e branco...

Petinga disse...

A minha alma esta parva... aquele anonimo la acima sera mesmo o Bruno de Carvalho??

Se assim for, duas coisas.

1- Atencao aos contratos de longa duracao com treinadores, em que nao hajam clausulas que salvaguardem os interesses do Sporting. Marco Van Basten e um nome entusiasmante, mas ninguem pode garantir que lhe vai sair tudo bem. Nao sei exactamente que tipo de clausulas sao juridicamente aceitaveis, mas e preciso evitar situacoes em que o Sporting esteja a 10 pontos do lider a 10a jornada. Apoiar um treinador nao e passar-lhe um cheque em branco - pelo menos nao antes de ele ter provas dadas na funcao especifica.

2- Nas contratacoes, criterio largo para escolher qualidade, mas atencao a idade. Um Stojkovic ou Purovic que nao corram bem representam flops em que o Sporting ainda pode recuperar o seu investimento (e colocar o jogador por emprestimo, libertando-se ao menos da carga salarial), mas um flop de 30 e tal anos... chama-se Maniche.

Quanto ao texto: nao tem sido, afinal, essa a estrategia vencedora da Hidra nos ultimos 15 anos? Ainda mais por isso, urge correr com eles dali para fora. E depressa.

SL