domingo, 6 de fevereiro de 2011

O negócio dos dissabores

Nestes dias de alinhamentos pré-eleitorais, a falta de um modelo consistente, capaz de resolver a grave, longa e profunda crise do Sporting é mais que patente.
Até agora, as sucessivas "soluções" experimentadas para a gestão do Sporting giraram à volta de dois princípios que provaram não funcionar. Ou se ignora completamente os sócios (e, por extensão, os adeptos Sportinguistas), únicos motores de uma qualquer resolução dos problemas do Clube, ou se tenta fazer-lhes o rapapé com o único intuito de melhor manter o Clube ao serviço dos seus interesses pessoais, continuando a explorar o seu sportinguismo.
Nunca os Sportinguistas foram chamados a envolver-se na gestão do seu Clube. Foram, isso sim (caso da aldrabice do Lugares de Leão, por exemplo, um grande negócio certamente para o BCP, mas um logro total para os sócios do Sporting), chamados para tapar buracos e os erros de planificação ou de gestão das sucessivas direcções.
Naturalmente que esta postura só pode dar buraco.
Ouvindo as diferentes propostas até agora esboçadas pelos putativos candidatos, não se vê ninguém que proponha uma solução institucional que permita impedir a repetição de fórmulas requentadas. Pelo contrário, se nestes últimos anos se tem assistido a tentativas sucessivas de separar ainda mais os Sportinguistas do seu Clube e de os enganar com mirabolantes receitas financeiras, que têm falhado redondamente, o que se ouve da boca dos actuais candidatos a candidatos e o que se adivinha dos que habilmente ainda não manifestaram disponibilidade para entrar na corrida, não tranquiliza.
O que o Sporting precisa é de uma solução estável, que não contrarie a sua realidade.
Vejam este exemplo. Na pátria do capitalismo, no paraíso por excelência do desporto transformado em mercadoria, há, imaginem, um clube —vencedor ainda por cima!— que é dos adeptos. Não é nenhuma utopia e é, quanto a mim, a solução radical de que este Sporting, em vias de extinção, necessita.
Em vez de proporem programas que são mais do mesmo, dos quais não resultará mais nada que não seja o adiamento ou a repetição da crise, o Sporting precisa de uma equipa dirigente cujo programa seja o de preparar o Clube para uma mudança de fundo que resolva de vez a causa de todos os seus problemas.
Na prática, o Sporting, uma associação de utilidade pública, uma "unidade indivisível constituída pela totalidade dos seus associados" (Estatuos Art. 3º-1), digladia-se contra uma SAD, incompetente e inútil, cujo objectivo é lutar contra esta "unidade indivisível" para garantir os seus dividendos privados. Lucros que só poderá, porém, obter se a unidade se quebrar, sendo que, se de facto se quebrar, cessa a fonte dos lucros. Uma embrulhada de todo o tamanho.
A ambiguidade deste modelo organizativo actual (de autoria de Roquette, o pai de todas as crises que têm assolado o Clube, convém lembrá-lo) é a causa dos problemas que ditam a sorte do Sporting hoje. O Sporting e os Sportinguista têm de decidir se querem ser donos do seu Clube ou se querem ser fregueses forçados do negócio dos dissabores.
As oportunidades de mudar a situação e as soluções possíveis para mudar o estado miserável em que se caiu começam a rarear. Os Sportinguistas e os candidatos a candidatos têm de perceber isto.
Eu, por mim e para já, vou ver o Superbowl...

8 comentários:

adams disse...

Caro Anjo Exterminador,

Eis um exemplo que merecia ser amplamente divulgado e debatido.

Anjo Exterminador disse...

Já agora, esqueci-me de o referir, vejam o Superbowl hoje para perceber melhor a importância de tudo isto...

Anjo Exterminador disse...

Os Green Bay Packers ganharam mesmo. Pode ser que isto tenha um efeito premonitório... ;-)

Tiago disse...

Eu gostava era de perceber isto:
http://www.dn.pt/desporto/sporting/interior.aspx?content_id=1777456&page=1

"Rogério Alves, Nobre Guedes, Pedro Souto, Paulo Pereira Cristóvão e Pedro Tavares devem integrar a lista com apoio de Dias da Cunha e José Roquette."

PPC apoia Godinho Lopes?????

Anjo Exterminador disse...

Claro!!! O caldo em que ele andou metido (http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=734110&page=-1) não tem nada a ver com o "universo Sporting"... Portanto, tudo bem!
Podemos sempre encarar a próxima eleição como o "enterro definitivo" do clã Roquette. Cá para mim acho que ainda há muito para esclarecer sobre esta saída intempestiva do JEB.

Pantera disse...

E o facto do nome do PPC constar nessa lista??

Anjo Exterminador disse...

... uma total decepção!

Anónimo disse...

Já agora podiam convidar o jovem Loureiro para candidato também...