sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Provérbios

Confesso que sou admirador do dr. Bettencourt. Não votei nele, mas há certos traços da sua persona pública que me agradam. Gosto do estilo, da descontracção, da figura simpática e da aparente convicção sportinguista. Para presidente do Sporting, o dr. Bettencourt tem muitas qualidades que me parecem fulcrais. Há alguns anos, quando ingressou nos quadros directivos do Sporting, alguém (se calhar até fui eu...) escreveu que JEB tinha sido a grande aquisição da época. De certa forma, continuo a pensar assim.
Nestes aspectos Bettencourt é a perfeita antítese do seu antecessor, uma figura sem estilo, arrogante, pregadinha, antipática e quanto a convicções sportinguistas... mmm estamos conversados.
Mas, os tempos não correm de feição ao dr. Bettencourt. E, se calhar, a responsabilidade cabe-lhe todinha a ele.
Ouço-o falar do Sporting e do momento pelo qual o Clube passa e fico a pensar se, de facto, ele tem a noção exacta do universo a que a sua mensagem se destina. Do seu discurso extraio a conclusão que um grande desígnio, algo de superior, um master plan qualquer, insondável pela generalidade do sportingus sapiens está a desenrolar-se. A gente é que não atinge.
Ora, o dr. Bettencourt está a esquecer-se de três coisas (se calhar, mais, mas para já são três). Em primeiro lugar, o tempo de uma coisa como o SCP passa a duas velocidades. Uma é quase parada: a instituição fica e a caravana passa. A outra é quase instantânea: as intenções manifestam-se, os planos traçam-se, a conjuntura move-se e, entretanto, a oportunidade de passar à prática já foi! Numa coisa como o SCP --totalmente, ou quase totalmente dominada pelo futebol-- a malta quer golos e já! Resultados e ontem! Não há golos, logo não há master plans que resistam (uma versão do velho "não há dinheiro, não há palhaços"). Bem podem os dirigentes acenar com a self-gratification mais tardia. A malta quer é gratificar-se agora. Por um lado, parece haver tempo para tudo, mas, por outro, não há de facto tempo para nada.
Em segundo lugar, há um problema de comunicação. Não há hipótese NENHUMA da malta alinhar num desígnio cujos contornos específicos não conhece, escaldada por anos de manobras dúbias, protagonizadas por gente ainda mais dúbia. Pedir militância é fácil. Difícil é justificar a militância ou encontrar contrapartidas claras para essa militância. O Sporting andou anos e anos sem ganhar a ponta de um corno, a ser alvo da chacota nacional, embora mantivesse o estádio cheio e um número recorde de sócios. Algo justificava silenciosamente essa miliância. O que se terá passado para passarmos da mili-tância para a zeri-tância é algo que qualquer direcção responsável e séria deveria averiguar e corrigir antes de fazer mais promessas.
Em terceiro lugar, a lógica institucional alterou-se radicalmente. Antes era Clube, agora é SAD. A culpa não é nossa, dos sócios que continuam feitos lorpas a ir pagar as suas quotazinhas todos os meses. A culpa é dos iluminados que decidiram que gestão_correcta=empresa e que clube=negócio. Então se é empresa e se isto é negócio queremos produto! Qu'é do produto? É isto que nos estã a servir agora? São as guerras patetas pró e anti-Bento? É o espírito do "grupo de trabalho"? É o master plan do futuro? São estes os produtos que o Sporting tem para servir aos seus clientes?!
Adivinho que o dr. Bettencourt, que não é nada parvo e que deve saber tudo isto há muito mais tempo e muito melhor que qualquer de nós, tem uma estratégia qualquer para lidar com a crise do Clube. E que, advogado e mentor da tática da cagança, apoia-se nela e no seu charme para ir com o grande plano para a frente. Mas, se fosse a si não contava muito com os Sportinguistas para apoiar, nestas condições, o actual e infeliz estado de coisas.
Durante as noites de insónia que certamente vai ter num futuro muito próximo, pense em como vai conseguir criar produto e explicar à clientela que este só vai estar nas prateleiras quando o Sporting for uma realidade real e não uma realidade virtual como é agora.
Quem com o ferro mata, com o ferro morre.

3 comentários:

n_sardas disse...

Parabens!!!
Excelente texto!!!

Anónimo disse...

Grande texto! Toma lá!!!

fantasma do Óculo disse...

Muito bom!!!