terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Revolução JÁ!

Não sei se este Sporting tem remédio. Nem sei se alguém está interessado em encontrar remédio, no caso dele existir. Não estou, claro, a falar (só) das três últimas vergonhas pelas quais passámos. Estou (sobretudo) a falar de um mal mais fundo, de uma vergonha maior, mais antiga, mais dolorosa que é a realidade em que se tornou este clube.
Uma coisa é certa: ou o Sporting se remodela de alto a baixo (repito, de alto a baixo!) ou vamos ver, muito em breve, este clube desaparecer, sem glória. Já se percebeu há muito que não há pedalada para aguentar esta montanha, que de todas as medidas financeiras que as sucessivas direcções propõem (todas aquelas, lembram-se?, que, se não fossem aprovadas, nos iam atirar para o abismo...) não resulta nada; já se percebeu que dos discursos apocalípticos dos sucessivos presidentes não ficou mais nada senão um rasto de desastres; já se percebeu que as saídas e entradas de gente para a equipa são invariavelmente um falhanço; já se percebeu, enfim, que isto não é defeito. É mesmo feitio. Assim, ou procedemos a uma verdadeira revolução no Sporting ou não haverá Sporting para revolucionar em breve.
É preciso mesmo uma REVOLUÇÃO e JÁ!
E revolução é o que vocês, meus caros, quiserem. Tudo é legítimo, tudo é possível. Vale tudo. Tudo, menos isto que se está a passar...

4 comentários:

Luizinho disse...

Foi a conversa nas roulotes depois, e antes, do jogo. Não podia estar mais de acordo. O problema é que imaginámos um futuro mais radioso como um Farense ou um Salgueiros do que com qualquer mudança que se possa imaginar hoje. Depois continuo. Um bom princípio é capaz de ser abandonar os bodes expiatórios, coisa que muito bem evitas na tua análise. to be continued...a sangue frio.

Bigodes disse...

Está de facto na hora...

Pantera disse...

Totalmente de acordo!! Mas para realizar a tal revolução necessária, é preciso revolucionários ou pelo menos uns quantos numerosos de revoltados! Admito que estejamos todos, mas quantos foram esperar ontem os jogadores e dirigentes depois do jogo?! Quantos estiveram na recepção do Dragão?! O que realmente me está a preocupar é a passividade com que assistimos a tudo isto, bem diferente de outros tempos! Agora é muito mais cómodo manifestar a nossa revolta nos blogs e cyber-espaço. Que tendo o seu papel (quanto a mim) muito importante estão longe das manifestações espontâneas juntos daqueles Oportunistas. Obviamente que em parte me estou a incluir na passividade, porque também ontem limitei-me a discutir o tema calmamente na Roulote.
Não há já qualquer dúvida que o clube está a morrer, mas ontem foi assustador ver a lotação do estádio num jogo contra os lampiões. Para além do campo, levámos um banho também nas bancadas.

Anjo Exterminador disse...

Caríssimo,
Não são precisos muitos para proceder à necessária revolução. Mas têm de ser bons...
Revolução precisa-se!! Revolucionários felizmente há que cheguem...
Quem quer alinhar?