quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Sporting Corporate de Portugal

N'O Jogo de hoje:


"Futebol em ambiente de luxo

O Sporting Clube de Portugal lançou esta época um novo espaço na área Corporate do estádio - o Lounge Corporate. O conceito é simples: permitir aos parceiros Corporate expor as suas marcas através da oferta de produtos ou experiências a todos os convidados com acesso ao Lounge. Paralelamente, o espaço é animado em todos os jogos com DJ e com acções temáticas. Quem tiver acesso a esta área exclusiva em dia de jogo, pode, para além do serviço de catering incluído, usufruir de uma massagem, ou da oferta de produtos de cosmética, gelados, cerveja, café, ou mesmo ganhar um fim-de-semana num hotel de 5 estrelas ou uma peça Sporting autografada pelo plantel.
O objectivo do Sporting é claro: dinamizar as áreas Corporate de forma a cumprir um dos pilares estratégicos assumidos: fomentar o networking entre as empresas e os seus profissionais presentes no Corporate [...].
O Lounge Corporate é já um sucesso entre as empresas com camarote naquela zona, de tal forma que o Sporting está a estudar a implementação de um conceito semelhante nas áreas poente do estádio."


É certo que o comum dos mortais que domine apenas a língua portuguesa terá dificuldades em lidar com a linguagem técnica aplicada, mas é deveras interessante perceber esta nova visão do que pode ser um adepto fervoroso do Sporting. Nada de roer as unhas, de berraria, de passar horas nas roulotes a encher o bucho de bifana e cerveja: o novo adepto, o adepto corporate que estimula o networking, é o tipo que vê(?) um jogo enquanto recebe massagens, ouve um DJ set e bebe um gin tónico.
O estádio, por sua vez, transforma-se em entreposto de negócios (perdão, business center), com os camarotes como centro vital (corrijo, com um dinamismo box centered) e rodeado por uma moldura capaz de suscitar aos corporate agents as mais elevadas erupções estéticas: lá em baixo, lá longe, próximo do ambiente fétido da populaça, 22 marmanjos praticam um desporto assemelhado ao pólo, infelizmente sem cavalos, e entre a lagosta e a massagem, tanta coisa curiosa haverá para ver enquanto se assina mais um contrato.
Nesta lógica toda, só não percebo como se descura o pormenor de assegurar que os figurantes da bancada estarão presentes. Por exemplo, amanhã, com os preços anunciados para o jogo com o Everton, corre-se o risco de arreliar a nação corporate: onde estará o povo que ela, à devida distância, tanto gosta de observar nos seus entusiasmos tocantes e nas suas patuscas indignações? Um pormenor a rever pela direcção do Sporting Corporate de Portugal.

4 comentários:

cabo-chefe disse...

Os bilhetes andam a distribuí-los dados pelos atletas das modalidades.

É o desespero para chegarem aos 20 mil espectadores.

Sportinguinho corporate, allez!!!

Pantera disse...

Cabo-chefe:
Hein?! Como é que é?! Estão finalmente a dar bilhetes?! Então e os desgraçados que pagaram 15 eur?

De Franceschi:
Granda post! Mas só me apetece é chorar...

cabo-chefe disse...

17.601. Faltou um bocadnho de cagança.

Pantera disse...

Desses, uns 4000 eram do Everton. À última da hora também lá acabei por ir...e foi bom!