sexta-feira, 6 de maio de 2011

Cada tiro cada melro ou momento CM

Referi lá em baixo o receio que as loucuras da dupla Duque-Freitas suscitam em mim. Dito e feito. Temos Wilson Eduardo pronto para entrar na equipa principal e vamos contratar um peruano cujas características são inteiramente idênticas às do jogador saído da formação. Pá, meus, a cena é simples. Contratem quatro jogadores. Um central com 30 anos, mais coisa menos coisa, e experiência interncional, um defesa-esquerdo já feito mas com alguns anos de futebol ainda nas pernas e um ponta de lança que marque golos. De preferência, também um tipo para aí com uns trinta anos. Se sobrar algum dinheiro contratem um extremo também com uns trinta anos, para o Bruma poder fazer uns jogos na próxima época e na seguinte estar pronto para jogar mais. É simples. Não gastem o nosso dinheiro à toa e não despachem metade do plantel. Basta despachar os que chegaram ao fim da linha: Abel, Polga, Nuno André Coelho, Grimi, Maniche, Zapater, Postiga, Saleiro e Djaló. Do Tales e do Cristiano nem sequer vou falar. Metade deles são substituídos por gajos experientes - os tais três ou quatro que entram de caras na equipa - e a outra metade por jogadores da nossa formação. É simples. Guardem o dinheiro que possam ter para o ocasional grande negócio que aparece sempre, p.e., Saviola para o Benfica, ou Raul para o Schalke, ou Guti para o Besiktas, ou qualquer coisa desse género. A ideia é melhorar para o ano para daqui a dois lutar para o título.

1 comentário:

Gonçalo Correia disse...

De facto, precisamos de 5(e não 4) jogadores para entrar de imediato no onze: um central, um lateral-esquerdo, um médio de ligação (não acho que o André Santos ou principalmente o Mendes o sejam, o Maniche é para sair e o Zapater ganha demasiado para o que - não - joga), um extremo e um ponta-de-lança.

Tudo o resto é complementar com o que já temos, com jogadores actualmente emprestados e com um ou outro actual júnior.