quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Programa, precisa-se

Muito mais do que encontrar um rosto para o futuro presidente do conselho directivo, afigura-se-me importante ter um Programa. O futuro presidente deve ser o intérprete de um programa, não é o programa. A dança dos presidenciáveis e o coro de figurões a sugerir nomes é uma coisa totalmente patética e não revela ideias, apenas mostra gente pequenina que quer pôr-se em bicos de pés. Mas, o problema é que de tanto massacrar, alguns destes nomes acabam por "gerar" consensos.
Repito: o que devemos exigir é um Programa claro. Façam como quiserem, sentem-se a uma secretária e escrevam um programa de raiz, guiados pela vossa competência ou intuição, e submetam-no à discussão e ao escrutínio dos Sportinguistas, ou criem movimentos de reflexão cujas ideias sejam depois vertidas num programa de consenso, façam, repito, como quiserem. Façam-no assim ou de outra forma qualquer. Façam-no rapidamente. Mas, façam-no começando a casa pelas fundações, não pelo telhado!
Sabem o que tem ditado a permanência da "linhagem" roquetista no poder? É que eles têm um programa. Mudam as caras (e muitas têm sido elas!), mudam as figuras de proa e os subalternos (muitas vezes mudam de proas para subalternos e vice-versa), mas o programa permanece. O essencial tem estado sempre, sempre defendido. O que devemos encontrar depois destes 15 anos de trevas no Sporting é um programa no qual a generalidade dos Sportinguistas se reveja e que, independentemente das caras, seja aplicado. Um programa que reflicta os valores, os anseios e as críticas dos Sportinguistas, um programa que reflicta os estatutos do Clube, um programa que mobilize os Leões e que ponha cobro a este período sinistro.
Se um novo programa, sólido e competente, não surgir, teremos mais do mesmo.

4 comentários:

Linger disse...

Boas Tardes Leão.
Tenho um link no meu blog para o teu sitio.
Se puderes coloca também o meu blog leonino no teu site…
http://www.cortinaverde.blogspot.com
Abraços.

MSM disse...

Por muito estranho que pareça, penso que tal como nas últimas eleições, o programa de um candidato é a última coisa que os sportinguistas vão ter como factor para a sua orientação de voto. O próximo presidente vai ser eleito do mesmo modo que da última vez, o que importa é ser um sportinguista com um nome conhecido ou transversal dentro da estrutura, vulgo linhagem (que segundo o ROC foi um termo inventado por ele e agora toda a gente usa), e ter uma boa imprensa, aquela que passe a ideia vigente no actual Sporting de "ou nós ou o caos", apesar do caos em que estamos.

Quer-me parecer que pouco ou nada vai mudar com as próximas eleições e que ainda era preciso bater mais fundo para os sócios perceberem realmente os danos que nos foram infligidos. É que "eles" já se estão a preparar para escolherem o seu candidato e baseando-nos nos dados da última AG "eles" ainda representam 60% dos votos.

Um abraço e nunca é demais dizê-lo, boa continuação deste belo blogue.

Anjo Exterminador disse...

Não me parece nada estranho MSM! Aliás é por isso que lanço aqui este alerta.
Talvez os Sportinguistas façam jus aos pergaminhos que andam constantemente a reclamar para si e reflictam um pouco (mais!) nestas eleições.
Mas, temo mesmo o pior...

Tiago disse...

Votei JEB. Pronto. Já o disse. Arrepender-me-ei até ao fim da vida.
Acho mesmo que o exmo sr dr devia ser expulso de sócio e impedido de entrar em instalações do Sporting. Mais, a próxima direcção devia processá-lo por gestão danosa.

Eu não me vou deixar enganar outra vez pelos mesmos, mas quantos ainda irão na mesma cantiga?
É que temos de ter muito cuidado com o que fazemos no dia 26 de Março.
Se alguém assim vai lá parar (http://desporto.sapo.pt/futebol/primeira_liga/artigo/2011/01/21/godinho_lopes_pressionado_para_a.html), a merda não vai continuar a mesma, vai é ser ainda muito pior.